Navigation Menu
Moda sem crise

Moda sem crise

By on Jan 2, 2015 in Notícias | 0 comments

55.000 pessoas na XVII edição do Simof | 1.300 vestidos 29 designers do salão durante quatro dias foram

A moda do Flamengo passou com sucesso a crise. Até 1.300 vestidos, cujas cores e formas marcada tendência nas próximas feiras e procissões na Andaluzia, participaram nos últimos quatro dias nas passarelas 28 e 90 expositores da XVII edição do Simof. Mais de 55.000 pessoas visitaram a exposição internacional, 10% mais que em 2010.

"O público tem apoiado a incrível consolidação desta amostra de prestígio", disse diretor Fibes, Felipe Luis Maestro de gestão. Seu orçamento tem sido 360.000 euros, embora agora um esforço posterior, envolvendo induzida por volume de negócios, desde que "o maior número de compras é feito após Simof," disse o mestre. O setor se move cerca de 120 milhões de euros por ano.

Esta confiança futuro otimista desenhadores 29 os participantes, "muito satisfeito", segundo o diretor, porque o público foi concluída a capacidade de todos os desfiles. Raquel Revuelta empresária também queria que este sucesso "se traduz em vendas, apesar de ainda estar submerso em crise". "Este sector representa nossas tradições e nossa idiossincrasia" dizia Revuelta.

Surpresa a tendência de modelo Sevilha marca "alguns moles, trajes, flores lisas e impressas, com muita importância de suplementos". Apesar de moda está refletindo o passado, a ex Miss Espanha destacadas designers sua "pesquisa sobre tecidos", tais como seda, cetim, tule, renda e couro mesmo.

Coincidiu com essa impressão Valeri, um francês com sede em Sevilha, três anos atrás, que "amam moda Flamenco". Ele visitou Simof para se adequar as novas tendências para a roupa que vai olhar para a feira do estilo de abril, antigo, com flores muito pequenas, que poderia provar que "este ano lá será alguns moles".